sexta-feira, 17 de novembro de 2017

O nosso berçário

Uma sala diferente para os nossos bebés! 
Temos uma sala com muitos espaços de brincadeira: 
- Uma piscina de bolas... 
- Um restaurante com vista panorâmica... 
- Muitos jogos novos e brinquedos que ainda estamos a descobrir…
Marta Todo Bom 
Coordenadora da creche

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Voltou o “Projeto das Histórias de mão em mão”!

O projeto das histórias de mão em mão, é um projeto de literacia que consiste na apresentação cénica de uma história, utilizando uma variedade de recursos e técnicas. 
O livro/a história é reinventada, sob as mais variadas formas: sombras, marionetas, fantoche, dramatização, entre outras formas que se considerem estimulantes e criativas, contribuindo para que cada livro se torne inesquecível, que cada história contenha em si, uma vivacidade memorável para os nossos meninos! 

A primeira história apresentada no ano letivo de 2017/2018: “As Bruxas Existem?” 
Trata-se de uma curta história em verso alusiva à figura emblemática da bruxa! Existe ou não existe? 
O grande momento da dramatização acontece, no final da história quando da janela da menina, aparece realmente uma bruxa que se ri, sempre que a plateia lhe bate palmas!
A equipa do Pré-escolar

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

O Colégio Catarina de Bragança no 1º Congresso das Escolas

 Nos dias 2 e 3 de novembro o Colégio Catarina de Bragança participou no 1º Congresso das Escolas que, pela primeira vez em Portugal, foi organizado em conjunto por associações do ensino público e privado. 
 O colégio esteve representado por profissionais das várias valências que todos os dias trabalham em estreita articulação para refletir e construir “uma escola para todos e uma educação para cada um”, como sabiamente alguém disse. Porque hoje, mais do que nunca, se exige que as escolas – todas elas – formem alunos para a incerteza e a complexidade, cidadãos desde já e para o futuro. Porque a pedagogia é o cerne de todo o processo e porque se tem de capacitar permanentemente e melhorar continuamente. E porque este é também o nosso compromisso para com os nossos alunos e as suas famílias. 
 O histórico evento contou com a presença do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Recolha de fruta solidária

No âmbito do Dia Mundial da Alimentação, celebrado no dia 16 de outubro, o colégio decidiu assinalar este dia de forma diferente... de forma solidária. 
Foi proposto aos alunos do 1.º Ciclo que sexta-feira, dia 20, trouxessem uma ou duas peças de fruta tais como maçãs, peras, bananas, etc. para entregar aos meninos da Casa de São Bento* que, por variadas razões, não incluem a fruta na sua alimentação diária. 
A adesão das famílias foi muita e recolheram-se cerca de 300 peças de fruta! 
Nesse mesmo dia, pelas 17h, algumas professoras do 1.º Ciclo juntamente com dois pais e seis alunos do colégio procederam à entrega da fruta recolhida. 
A receção foi calorosa! Os meninos da Casa de São Bento agradeceram com carinho a iniciativa! 

MUITO OBRIGADA do fundo do coração pela vossa generosidade. Pequenos “grandes” gestos fazem a diferença!
*A Casa de São Bento situa-se Caxias e, ao longo dos anos, tem estabelecido uma relação especial com o colégio, uma vez que uma das professoras do 1.º Ciclo é lá voluntária há cerca de 6 anos.

Margarida Brée 
Professora do 4º ano

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Salada de outono

No âmbito da comemoração do Dia da Alimentação e dos conteúdos de Estudo do Meio sobre este tema, esta semana, no laboratório de ciências com o 2º ano​, confecionámos uma salada de frutas de Outono. 
Os frutos que utilizámos foram: diospiro, uvas, romã, fisális e avelãs. 
Antes da preparação falámos da importância da fruta na nossa alimentação, dos frutos típicos de cada época, dos nomes e propriedades dos frutos, se já tínhamos ou não provado anteriormente e se gostávamos ou não do sabor. 
Todos os meninos participaram na preparação dos alimentos com muito entusiasmo e para alguns foi uma estreia a prova de fisális e de diospiro. 
Repetimos a salada 3 vezes e no final ainda provámos castanhas e fizemos um desenho sobre o trabalho realizado.
Professora Rute Candeias

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Resultados das provas de aferição

É com muito orgulho que divulgamos os resultados das provas de aferição de 2016 / 2017. Parabéns aos nossos meninos! 
No final do ano letivo passado, a turma de 2º ano (atual 3º ano) realizou provas de aferição. Foram realizadas as provas de cariz prático (Expressões Artísticas e Expressões Físico-Motoras) entre os dias 2 e 9 de maio, e as restantes provas (matemática, português e estudo do meio) na última semana de aulas. 
Em 2017, cerca de 95 mil alunos realizaram as provas do 2º ano. É de salientar o facto de neste ano terem sido realizadas provas em áreas disciplinares que não exclusivamente o Português e a Matemática, ainda que, já em 2016, as provas destas duas áreas tenham integrado a área disciplinar de Estudo do Meio no 2º ano de escolaridade. 
A realização de provas de natureza prática, como as de Expressões Artísticas e de Expressões Físico-Motoras, constituíram inovações que contribuem para um diagnóstico mais amplo da forma como está a ser implementado o currículo no ensino básico. 
 Os resultados das provas de aferição são apresentados por ano de escolaridade e por domínio de cada disciplina/área disciplinar e estão organizados tendo em consideração as categorias que enquadram o desempenho dos alunos: 
 Conseguiram responder de acordo com o esperado (C); 
 Conseguiram responder de acordo com o esperado, mas podem ainda melhorar (CM);  
 Revelaram dificuldade na resposta (RD); 
 Não conseguiram responder de acordo com o esperado (NC) ou Não responderam (NR). 
Em 2017, os relatórios integram, pela primeira vez, informação relativa ao domínio cognitivo associado a cada um dos itens que integram as provas, em resultado da natureza e da complexidade de operação mental requerida no desenvolvimento das respostas. 
Nesta medida, foram definidos três níveis de complexidade (inferior, médio e superior), tal como se observa na tabela 1.

TABELA 1 | Domínios cognitivos 
Inferior                               Médio                           Superior 
Conhecer/Reproduzir         Aplicar/Interpretar        Raciocinar/Criar

Assim, anexamos os resultados obtidos, com o comparativo a nível nacional. Muito obrigada.
A direção

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Visita ao Greenfest

   Alunos do Colégio Catarina de Bragança visitam o Greenfest No dia 28 de setembro, quinta-feira, os alunos do 1.º Ciclo e do Pré-ciclo e as respetivas professoras visitaram o Greenfest, no Centro de Congressos do Estoril. 
   Lá participaram em ateliês pedagógicos, jogos ambientais, sessões de aves de rapina, experiências de laboratório, mini showcooking’s e atividades Eco-Escolas. 
   Pelas 9h00, em dois autocarros alugados, os alunos dirigiram-se até ao Greenfest. No âmbito do programa Eco-Escolas, o Colégio Catarina de Bragança achou importante que os alunos participassem neste festival. Cerca de 45 minutos depois chegaram ao seu destino. 
   Cada turma foi recebida por dois monitores que ajudaram a explorar as várias atividades do Greenfest. Por exemplo: arborismo, o ciclo do óleo, jogos ambientais sobre a reciclagem, showcooking eco-cozinheiros, Life in Plastic, mini hortas biológicas, sessões de surf, sessões sobre aves de rapina…
   Os alunos foram recebendo muitas ofertas, como por exemplo gelados Solero, sumos de frutas e vegetais, sopas e outros pratos, cadernos, rebuçados, lápis de cor, bonés… 
   Por lá também passearam várias mascotes com quem os alunos puderam tirar fotografias.
    A nossa equipa de jornalistas foi recolher alguns depoimentos de alunos e professores. 
   Segundo Frederico, aluno do 3.º ano, “A visita foi engraçada. O que mais gostei foi de ver as aves de rapina”. 
  Já Matteo, do 2.º ano, quando entrevistado, disse “Gostei das mascotes, de comer o gelado e o chupa de cenoura.” 
   O aluno Eduardo, do 1.º ano, adorou plantar alfaces. 
  Já os alunos do Pré-ciclo, Constança, Carlota, Tiago e Maria Leonor adoraram os gelados. 
   De acordo com a professora Elisabete, “os alunos gostaram das atividades escolhidas. Os animadores foram atenciosos e dinâmicos, interagindo com todas as crianças, tentando proporcionar-lhes momentos divertidos.” 
   Tanto os alunos como as professoras adoraram a visita e esperam para o ano regressar. 

Margarida Brée
Professora do 4º ano

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Os dinossauros

Este ano letivo, surgiu, no diário de turma, uma proposta para a realização de um trabalho de projeto sobre dinossauros. 
A turma aderiu com muito interesse e entusiasmo a esta proposta. Começámos por elaborar um plano do projeto: o que queríamos saber, onde iríamos pesquisar informação, como queríamos apresentar o projeto… Todos os alunos pesquisaram informação em casa e na sala de aula, na internet e em livros. 
Reunimos toda a informação, selecionámos a informação mais pertinente e fomos, assim, construindo o nosso projeto. 
A turma decidiu apresentar o projeto sob a forma de exposição, pelos corredores do nosso colégio. 
Os meninos da creche e do pré-escolar adoraram e era muito engraçado vê-los, todos os dias, seguir as pegadas para encontrar os dinossauros… 
Deixamos aqui algumas imagens da nossa exposição. Esperamos que gostem!
Professora Elisabete
2º ano

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Os nossos animais preferidos

Este trabalho foi realizado pela turma do 2.º ano, no âmbito da disciplina de Expressão Plástica. 
Pretendia-se com este trabalho utilizar a técnica positivo-negativo, a qual consiste numa mistura de cores claras e escuras. 
O positivo refere-se às cores escuras e o negativo às cores mais claras ou à ausência de cor, cuja prevalência de tonalidade é a do papel do fundo.
 Professora Elisabete Ramalho 
2º ano

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Dia Mundial do Ambiente

No passado dia 5 de junho comemorámos o Dia Mundial do Ambiente! 
De manhã construímos abrigos, comedouros e bebedouros para os passarinhos, com a ajuda de alguns pais e da professora Rute, dinamizadora do projeto Eco-Escolas!
O pai Rui trouxe-nos um morcegário construído por ele, que pintamos e foi colocado no jardim, juntamente com os restantes!
Muito obrigada a todos pela participação! 
Obrigada também a todas as famílias que nos ajudaram neste projeto! 

 Educadora Rita Costa 
Infantil 2

domingo, 11 de junho de 2017

Ser mãe e pai em tempos assim… E se eles me falarem dos ataques terroristas?!

Um artigo de Dora Guerreiro, a nossa psicóloga

A parentalidade saudável surge acompanhada de um instinto básico de proteção dos filhos, uma urgência em assegurar que nada de mal lhes vai acontecer, a esperança de que os poderemos sempre e para sempre proteger de qualquer sofrimento maior. 

Quando vivemos tempos como os atuais, em que se sucedem ataques terroristas onde morrem crianças (e onde às vezes são elas o alvo) - e que começam infelizmente a ser mais uma regra do que uma exceção -, os nossos referenciais estremecem, sentimo-nos nós próprios sem recursos para lidar com a situação, quanto mais para ajudar os nossos filhos a fazê-lo. Como explicar o que não conseguimos compreender ou aceitar? Como transmitir segurança quando nos sentimos justificadamente tão vulneráveis? 

A morte que dá na TV já não é algo distante que apenas a outras culturas, religiões ou países diz respeito. O terror mora bem ao nosso lado, conseguimos ouvi-lo, senti-lo, temê-lo como nunca antes. 

Como compatibilizar então a nossa função de pais no garantir aos nossos filhos que estão seguros – sim, porque é disso que se trata, de lhes assegurar que continuam seguros, apesar de tudo o que se passa no mundo – quando intimamente até sabemos que tal não é verdade. 

Em primeiro lugar queria esclarecer que, ao contrário do que se poderia pensar, as crianças não precisam de estar sempre felizes. Pelo contrário, faz parte do desenvolvimento psicológico saudável ter de elaborar a tristeza, o medo e a frustração que surgem naturalmente no decorrer do crescimento (e da vida). Só o contacto com emoções e sentimentos negativos, e a sua posterior elaboração, pode possibilitar uma saudável estruturação da personalidade. 

Quando há algum tipo de acontecimento desagradável, algo de incomum e errado, as crianças sabem-no (ou pressentem-no). E, se nada lhes for dito pelos pais – como se de um tabu se tratasse –, elas irão certamente à procura de informação noutras fontes sobre as quais podemos ter pouco ou nenhum controlo (televisão, internet, colegas, entre outras). 

Como em outras situações igualmente difíceis de abordar com os filhos (luto, divórcio e sexualidade, por exemplo), somos nós próprios quem tem dificuldade em lidar com os nossos sentimentos relativos ao assunto, não nos sentindo então capazes de os abordar de forma tranquila e segura com eles. Alguns de vocês têm solicitado a minha ajuda nestes momentos. 

Relativamente ao terrorismo, alvo de extensa reflexão e pesquisa pessoal, decidi antecipar-me a algumas questões que certamente já vos surgiram sobre a forma como poderão gerir este difícil assunto. 

Da mesma forma, tal como nos outros “assuntos difíceis”, também sobre o terrorismo qualquer conversa com os nossos filhos deve partir da sua iniciativa ou do conhecimento que temos do seu interesse em abordá-lo (mesmo que tal não seja diretamente verbalizado). 

Passo a elencar alguns procedimentos básicos aconselhados por especialistas: 
1. Descobrir o que a criança já sabe sobre o assunto: O ponto de partida deve ser sempre aquilo que os nossos filhos já sabem; aquilo que ouviram, aquilo que viram, aquilo que sentiram; 

 2. Abordar o assunto mais do que uma vez: Não podemos assumir que, com uma única conversa, tudo fica esclarecido; devem manter-se os canais de comunicação abertos para que não haja a tendência a procurar informações por outras vias; 

3. Utilizar uma linguagem simples e adequada à idade: Responder a todas as questões, utilizando uma linguagem própria para cada idade (falar com uma criança do pré-escolar ou do 1.º ciclo é completamente diferente); limitar o acesso a fontes de informação que podem utilizar linguagens inapropriadas para a idade (meios de comunicação social, internet); 

4. Encorajar a expressão de sentimentos: Ouvir de forma empática as preocupações que nos transmitem, reconhecendo os acontecimentos como assustadores, mas ajudando sempre que possível a dar nome ao que estão a sentir (medo, tristeza, zanga); 

5. Tranquilizá-los: Reconhecer-lhes o medo não invalida que não lhes asseguremos que estão seguros, pelo contrário; é essencial que lhes transmitamos alguma tranquilidade e lhes verbalizemos segurança; podemos dizer que o que está a acontecer é horrível mas raro, que existem muitas medidas preventivas (polícia, etc.) para evitar novos incidentes e que estas medidas vão ser reforçadas, que haverá sempre mais pessoas que praticam boas ações do que más ações como aquelas, e que estaremos sempre lá para os proteger; 

6. Ser um bom modelo sobre a forma como lidar adequadamente com a situação: Devemos conseguir mostrar que conseguimos ficar bem mesmo depois dos ataques terroristas, que estes não nos mudaram ou ao nosso modo de vida; os nossos filhos perscrutam-nos para saberem como é suposto reagir e sentir perante as várias situações da sua vida, somos o seu modelo; é pois importante manter as rotinas dentro do normal, ser consistentes; mantermo-nos calmos e positivos para não aumentar a sua ansiedade; 

7. Promover a capacitação: Mostrar à criança como se pode proteger em alguns contextos da sua vida dar-lhe-á um sentimento de confiança e controlo (a perda de controlo é terrivelmente assustadora nos ataques terroristas); focar sempre as iniciativas que surgem após os ataques, de pessoas de todo o mundo, e que provam que a maioria defende e promove a paz; poderá ajudar o envolvimento em campanhas de angariação de fundos ou outras igualmente solidárias. 

Seria muito bom que, no mundo em que vivemos, não houvesse nada de mau para explicar aos filhos mas, como tal não é o caso, devemos ajudá-los a compreendê-lo sem ficarem traumaticamente assustados. 

Para terminar gostaria de reforçar a minha convicção de que cada família tem de ser respeitada nas suas ideias, dinâmicas, valores e em todas as suas idiossincrasias que a valorizam de forma particular e única. As famílias com quem já tive o privilégio de estar e conversar sabem que defendo que nunca há um guião ou receita únicos; cada família deve usar a sua linguagem própria, aquela com a qual se identifica e que sabe que os filhos vão entender. 

Cada família deve então poder encontrar os seus recursos de esperança a partir da sua identidade. Não haverá nada de mais securizante para uma criança do que ouvir uma verdade difícil protegida num bom “colo” materno ou paterno. 


Agradeço a vossa atenção. Acreditem, é sempre um prazer conversar convosco. 














Algumas fontes consultadas:
http://www.parents.com/parenting/better-parenting/advice/how-to-talk-to-kids-about-terrorism/ 

http://www.telegraph.co.uk/women/life/mancester-arena-attack-explain-horror-children/ 

https://www.thesun.co.uk/living/1454348/heres-how-to-explain-terror-attacks-to-children-and-reassure-them-that-they-are-safe/ 

http://www.bbc.com/news/education-40011787 

https://www.counseling.org/docs/default-source/counseling-corner-library/december-7-2015---explaining-terrorism-to-your-children.pdf?sfvrsn=6 

https://www.nytimes.com/2015/11/17/opinion/is-it-normal-to-have-two-terrorist-attacks.html?mcubz=1&_r=0

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Desenho à vista

Foi proposto ao grupo da infantil 2 que escolhessem um objeto para fazer a sua representação gráfica. 
Cada criança escolheu um objeto que desenhou com lápis de carvão e, em seguida, pintou com lápis pastel.
Educadora Rita Costa
 Infantil 2

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Os Animais

No passado fim de semana, foi proposto aos alunos do 2.º ano que escolhessem um animal, pesquisassem informação sobre o mesmo e encontrassem uma forma criativa para apresentar a informação recolhida à professora e aos amigos. 
O resultado dos projetos realizados pelos alunos e suas famílias foi bastante interessante, pelo que a turma resolveu colocá-los em exposição, para poder partilhá-los com toda a comunidade educativa. 
Espreitem aqui os nossos projetos!
Professora Elisabete Ramalho
 2º ano

Lagartos

Esta semana, a turma do 2.º ano resolveu fazer uma exposição com os trabalhos realizados a partir da tarefa número cinco da prova de aferição de Expressões Artísticas, efetuada no passado dia 8 de maio. 
Essa tarefa consistia na modelagem de um lagarto, com as mãos, utilizando apenas plasticina. Cada aluno dispunha de três cores e poderia utilizar uma ou mais cores, recorrendo à criatividade de cada um. Para a realização deste trabalho, cada aluno dispôs de 15 minutos. 
Deem uma espreitadela nos resultados dos trabalhos realizados!
Professora Elisabete Ramalho 
2º ano

segunda-feira, 15 de maio de 2017

A menina que detestava livros

Na passada sexta-feira, dia 12 de maio, as turmas do primeiro ciclo deslocaram-se ao Teatro Turim, em Benfica, para assistir à peça “A menina que detestava livros”. 
Os nossos meninos ficaram a conhecer a história de Mina, uma menina que vivia numa casa rodeada de livros, mas que detestava ler. (Até na sanita havia livros, vejam bem!) 
Max, o seu gato, também não suportava livros e, num certo dia, fez cair uma pilha deles. Foi então que, de repente, começaram a sair diversas personagens do interior dos livros, obrigando Mina a lê-los, para que os mesmos voltassem às páginas das histórias das quais faziam parte… 
Foi uma história divertida, com recurso a marionetas e teatro de sombras!
A equipa do 1.º ciclo

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Pirilampo Mágico

Este ano, mais uma vez, os nossos meninos apoiaram a venda do Pirilampo Mágico. 
No dia 8 de maio, à entrada da escola, com a mãe Cândida espalharam sorrisos e Pirilampos!
Obrigada Cercitop! Todos juntos faremos um mundo melhor!

Equipa do Colégio Catarina de Bragança

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Mamã, de que cor são os beijos?

Na Semana da Mãe, a mãe do R. veio à nossa sala contar a história “Mamã, de que cor são os beijos?” 
À medida que ouvíamos a história, pudemos cheirar, sentir e saborear vários elementos da natureza de acordo com as cores dos beijos!
No final da história cada criança escolheu de que cor queria pintar os lábios, para imprimir o seu beijo no “quadro dos beijos”! Colámos todos os beijos e o R. escreveu o título do quadro!
Obrigada mãe P.! Gostámos muito de ouvir esta história!

 Educadora Rita Costa 
Infantil 2

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Concurso de soletração

Ao longo desta semana, comemorámos no nosso colégio a Semana da Leitura! 
À semelhança de outros anos, na quinta-feira (dia 4 de maio) realizámos a final do Concurso de Soletração, na qual participaram três alunos de cada turma do 1.º ciclo. 
Os finalistas apurados para a final foram selecionados em diversas eliminatórias, realizadas previamente em cada uma das diferentes salas. 
Este concurso é realizado no nosso colégio com o objetivo de ajudar os nossos alunos a melhorar a pronúncia, a ortografia, adquirir novos conceitos e, consequentemente, aumentar e enriquecer o vocabulário de cada um. 
Os vencedores de cada turma receberam como prémio um livro!
A Equipa do 1º ciclo

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Cantigas e cantigos

No âmbito da semana da leitura, recebemos no nosso colégio o ilustre escritor José Fanha com a apresentação do seu mais recente livro "Cantigas e cantigos". 
Os meninos do primeiro ciclo prepararam diferentes atividades para receber o aclamado escritor. A turma de primeiro ano ilustrou palavras de alguns poemas do livro, a turma do segundo ano pesquisou informações sobre o escritor e elaborou um cartão de identificação, a turma do terceiro ano preparou algumas perguntas para colocar ao autor e, a turma do quarto ano, declamou alguns poemas do livro.
Foi um momento muito bem passado e em excelente companhia!
A equipa do 1.º ciclo

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Cantinho dos póneis

A sala de transição foi visitar os animais ao “Cantinho dos Póneis”! 
A Cidália mostrou-nos muitos animais e até nos deixou participar na sua rotina diária. 
Ajudamos a Bianca (pónei), a lavar a cara e a escovar o pêlo para, de seguida, podermos andar no picadeiro. Vimos ovelhas, cabras, dromedários (a Elvira e o filhote), coelhos, patos, galinhas, burros, cavalos, um canguru, periquitos, pavões entre outros, mas o mais divertido foi podermos alimentá-los a quase todos! 
Os nossos meninos e meninas adoraram e, no final da manhã, fizemos um piquenique. 
Obrigada pela disponibilidade do “Cantinho dos Póneis”!
Educadora Ana Oliveira
Sala de Transição

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Culinária Saudável

Na última reunião de pais lançámos vários desafios, entre os quais, vir à sala dinamizar uma sessão de culinária saudável! 
Hoje a mãe Mafalda veio fazer connosco a “Limonada da Mamã”, que bebemos ao almoço!
Também nos ensinou a fazer espetadas de fruta! 😉
Assim que terminámos, provámos as espetadas! Estavam deliciosas! 
Muito obrigada mãe Mafalda!
Educadora Rita Costa 
Infantil 2

terça-feira, 18 de abril de 2017

Arquitetura paisagística

Na Infantil I tivemos a visita de uma mãe à sala que nos veio falar da sua profissão.  
Exerce arquitetura paisagística e veio explicar-nos como se processa o seu trabalho no dia a dia. 
Durante esta apresentação pudemos ajudá-la a criar um modelo de um jardim. Foi uma atividade diferente e da qual gostámos muito!
Educadora Ana Dias
Infantil I

Pais na sala

Colocámos o desafio aos pais de virem até à nossa sala… resultou em muitos momentos de leitura nos quais conhecemos algumas histórias novas!
Educadora Ana Dias 
Infantil I

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Caril de frango com batata doce

Mais uma ementa da Graça que ainda não tínhamos experimentado... 
Um franco de caril com batata doce, que estava uma delícia!
Equipa do Colégio Catarina de Bragança

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Folar da Páscoa

Hoje festejamos a Páscoa todos juntos no nosso colégio... mão na massa, fizemos folares de Páscoa para oferecer às nossas queridas famílias! 
Foi uma manhã de culinária muito especial e com muitas experiências diversas... juntámos os ingredientes depois de lermos a receita, amassamos, moldamos, cheiramos cada ingrediente e todos juntos... 
...colocamos no forno... 
...enfeitamos os nossos bolinhos e por fim fizemos um embrulho bonito, que vamos levar para as nossas famílias!
Educadora Marta Todo Bom 
Pré-ciclo

Caça aos ovos

Ontem o "coelho Alberto" visitou-nos e andou a pregar-nos algumas partidas... 
Espalhou e escondeu ovinhos nos arbustos do nosso jardim... Combinámos algumas estratégias para conseguirmos encontrar os ovos... 
E as nossas amigas professoras deram-nos algumas pistas...
Encontramos os ovinhos... Eram pequenos e saborosos! 
Desejámos uns aos outros uma Páscoa feliz e doce...
E no almoço um piquenique... 
Hambúrguer com alface e tomate... batatas fritas...manta no chão, todos juntos... 
Foi uma manhã quentinha com muitas surpresas!
Equipa do Colégio Catarina de Bragança

segunda-feira, 10 de abril de 2017

IX Escola de Gamelão da Ilha de Java no Museu do Oriente

Na passada 4ª feira, os alunos da Academia de música do Colégio Catarina de Bragança, foram a uma visita de estudo à IX Escola de Gamelão da Ilha de Java no Museu do Oriente. 
Foi uma manhã muito especial, recheada de novas sensações auditivas e de trabalho de equipa. 
A sessão foi dada por Elizabeth Davis, percussionista da Orquestra sinfónica Portuguesa que, de forma muito simpática e calorosa, nos ensinou a tocar nestes instrumentos muito especiais.
Neste Gamelão chamado “Larasati”, tocaram primeiro em pequenos grupos de quatro…
E depois de saberem tocar, juntaram-se numa grande orquestra. Puderam trocar de instrumento várias vezes para experimentar as diferentes escalas e sonoridades de uma Orquestra Gamelão.
Os nossos meninos estiveram sempre muito interessados e tocaram muito bem. Ficámos orgulhos do seu desempenho!


Equipa da Academia de Música do Colégio Catarina de Bragança

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Projeto: para que servem as raízes?

Os nossos alunos do pré-escolar apresentaram aos pais o trabalho que desenvolveram, sobre as raízes. 
Foi um longo projeto, pois as perguntas surgiam, dia a dia…
A apresentação ficou a cargo do grupo, que partilhou com as famílias tudo o que aprendeu. 
Do projeto resultou um livro com todas as aprendizagens adquiridas e todas as descobertas que fizemos em conjunto.
E fizemos um bolo para comemorarmos a apresentação do projeto: "Para que servem as raízes?"
Educadora Marta Todo Bom
Pré-ciclo

Pizza vegetariana

A receita vem da criatividade e de um coração carinhoso… 
No dia da ementa vegetariana a nossa cozinheira surpreendeu-nos com uma pizza caseira de legumes… Estava deliciosa!
E os ingredientes: Milho, espinafres, queijo, cogumelos…
Equipa do Colégio Catarina de Bragança

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Atividades matemáticas

Muitos momentos significativos são promotores de atividades de matemática e raciocínio lógico, dois dos quais: 
- a contagem das presenças e das faltas;

- escrita de números no quadro, uma atividade espontânea de uma criança da sala.
Educadora Marta Todo Bom
Pré-ciclo

Consciência fonológica

O ultimo som que trabalhamos foi o [x], uma rima divertida que todos memorizaram com motivação... 

Depois de aprendermos a rima e escrevermos no quadro as palavras que descobrimos todos em conjunto... 

Fazemos um registo individual com algumas palavras, para cada um de nós mais significativas.
Educadora Marta Todo Bom 
Pré-ciclo

terça-feira, 4 de abril de 2017

Sessão de culinária

A creche fez uma sopa! 
Começamos por pedir a colaboração dos pais para trazerem os legumes preferidos dos filhos, foi uma recolha bem recheada e diversificada. 
No dia mostramos os legumes, lavamo-los, contamos, vimos as diferentes cores, sentimos os cheiros e colocamos tudo na panela para levar à cozinha.
Ao chegarmos ao refeitório tínhamos a nossa sopa nos pratinhos. Todos adoraram a sopa e até queriam repetir!
Educadora Ana Lúcia Oliveira
Sala de Transição

sexta-feira, 31 de março de 2017

Feira das Ciências

Ainda no âmbito do Programa Eco-Escolas, hoje decorreu a nossa Feira das Ciências, com o tema "Viagem pelo corpo humano".
Nas salas do 1º ciclo decorreram várias atividades e exposições orientadas pelos alunos, com os seguintes temas: 
- sala do 1º ano - características físicas e diversidade, genética, ciclo de vida, pesos e alturas;
- sala do 2º ano - os cinco sentidos, a saúde e higiene do corpo, experiências;
- 3º ano - funções vitais, sistemas do corpo humano, experiências;
- 4º ano - esqueleto, pele, músculos.
Equipa do 1º ciclo

Programa Eco-Escolas

Hoje tivemos um Bom dia Musical especial, no jardim do colégio!
No âmbito da nossa participação no Programa Eco-Escolas - um programa que é dinamizado em algumas escolas da Europa e que é coordenado pela Associação da Bandeira Azul da Europa (ABAE), afixamos o diploma Eco-Escolas que o nosso colégio recebeu e oficializamos o hastear da bandeira Eco-Escolas que recebemos em Aveiro. 
Apresentamos também o nosso hino Eco-Escolas, que foi cantado por todos os meninos do colégio!
Equipa do Colégio Catarina de Brangança